terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

📌 Dá que Pensar

Aquilo que nos define, e nos distingue dos outros, é a forma como nos erguemos após uma queda. O tempo que precisamos para voltar a respirar, e a elasticidade da resistência emocional que mostramos para curar as feridas da alma. 
Para isto é preciso mais do que optimismo e atitude positiva. É preciso coragem e amor próprio.
Não me preocupo se os meus passos não são sempre firmes, se às vezes tropeço, se outras vezes caio e se preciso de mais tempo para me levantar.
Aprendi que isso não é fraqueza, que não me diminui perante os outros e que, tantas vezes, é esse o fermento que ajuda o meu coração a crescer
.
Vou confiando mais em mim, no equilíbrio que aprendi a manter para não cair. Sei que por mais difícil que seja a vida, haverá sempre no nosso caminho quem nos queira ajudar, quem queira cuidar, quem chegue para plantar o bem.

O resto... é só o resto, o que sobra, o que está a mais, o que não tem mesmo qualquer importância.

Sem comentários: